Sylvain George

Nasceu em 1968, na França. Estudou filosofia, ciências políticas e direito antes de se tornar cineasta aos 38 anos. No contrafluxo do imediatismo que a tecnologia digital permite, Sylvain levou cerca de 20 anos entre a ideia e a realização de seu primeiro trabalho audiovisual. E talvez seja justamente nesse tempo de reflexão que grande parte da força do seu cinema reside.

O até então assistente social revelou-se no meio cinematográfico em 2009, quando estreou seu primeiro longa no FIDMarseille, L’impossible. No ano seguinte, no mesmo festival, apresenta Qu’ils reposent en révolte (2010), no qual desenvolve um trabalho já experienciado em curtas anteriores: um retrato em preto e branco em alto do contraste do porto de Calais, onde imigrantes de toda a África encontram-se na esperança de cruzar o Canal da Mancha e chegar ao Reino Unido.

Distante do usual sentimentalismo acrítico empregado ao cinema social, o trabalho de George combina a militância a um voo de realismo documental. Aliando o olhar reflexivo dos realizadores que muito refletem antes de pegar a câmera, com a violência e a urgência de alguém que sabe que a posição da câmera é muito semelhante à uma arma preste a disparar, Sylvain traz em seus filmes uma vitalidade esmagadora e surpreendente.

 

Filmografia

  • 2014 Vers Madrid – The Burning Bright
  • 2012 Les nuées
  • 2011 Les éclats (mas gueule, ma révolte, mon nom) The Out-Bursts (My Mouth, My Revolt, My Name)
  • 2010 Qu’ils reposent en révolte (des figures de guerres I)
  • 2009 L’Impossible – pages arrachées
  • 2008 No Border (Aspettavo che scendesse la sera)
  • 2008 N’entre pas sans violence dans la nuit
  • 2007 Un homme idéal (Fragments K.)
  • 2006 Europe année 06 (Fragments Ceuta)