Premiação – apreciações do júri

 

MENÇÃO HONROSA

O júri foi sensível à habilidade com que o diretor constrói sua narrativa, desde a exploração dos espaços cênicos até a atuação de Dona Sônia e seu vizinho. A questão social da violência é atualizada de modo original, através de uma escritura de estilo próprio.

** DONA SÔNIA PEDIU UMA ARMA PARA SEU VIZINHO ALCIDES, de Gabriel Martins **

 

MELHOR CURTA METRAGEM

O filme convence pela simples e efetiva proposta com uma escrita única e uma voz original. O júri aprecia a combinação peculiar de emoções profundas e alta artificialidade. A tensão resultante disto cria um estado de suspensão e conquista a atenção plena do público.

** OVOS DE DINOSSAURO NA SALA DE ESTAR, de Rafael Urban **

 

MELHOR LONGA METRAGEM

O júri reconhece o esforço do filme em lidar com importantes questões de seu tempo e do seu lugar, a América Latina. Através dos muitos encontros que acontecem no caminho errante do filme, é possível pensar sobre os rumos ainda abertos desse continente em desenvolvimento.

** ESTRADEIROS, de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira **

 

MELHOR DIREÇÃO

O júri apreciou a economia fílmica construída pelo diretor através de suas escolhas formais e de conteúdo. A opção por mostrar as cenas repetidas vezes e os bastidores revelam a construção de um personagem no teatro através do cinema, e nos faz pensar sobre o que é atuar, e as possibilidades e limites da representação.

** Marcelo Grabowsky , por TESTEMUNHA 4 **

 

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI

O júri viu um filme e concordou por unanimidade que este era o melhor filme visto por nós, apesar de infelizmente ele estar fora de competição. Sua narrativa, seu humor, sua mistura de misturar documentário e ficção na maneira de apresentar seus protagonistas foram todas boas razões para dar o prêmio especial do júri para esta ótima experiência fílmica.

** A CIDADE É UMA SÓ?, de Adirley Queirós **